Skip to content

QualiNews Voltar às Noticias

MARÇO 6

Cuidados essenciais para vender ovos de colher

  • 2020-03-06

Os ovos de páscoa de colher surgiram e se tornaram um grande um sucesso de vendas, caindo no gosto do consumidor nos últimos tempos. Todavia, é muito importante que durante todo o processo de fabricação sejam tomados cuidados essenciais para a obtenção de um produto de qualidade e seguro para o consumo.

Os primeiros ovos de páscoa eram muito diferentes dos sabores doces e das texturas macias das quais estamos acostumados atualmente. Segundo o site Mirror, a tradição de dar ovos de Páscoa começou na França e na Alemanha durante século 19 e depois de muito tempo, a indústria alimentícia viu nesse costume uma grande oportunidade de negócio. Assim, com a evolução da tecnologia, os ovos de chocolate passaram a ser melhor elaborados, de acordo com a exigências do mercado e logo caiu no gosto do consumidor.

Mesmo sendo uma tradição que demorou a ser acolhida no Brasil, é uma prática que aquece a economia de todo o país, gerando empregos temporários e oportunidades de crescimento do setor. Em 2017 a FecomercioSP registrou que houve um aumento de aproximadamente 12,6% no preço do chocolate. Tal fato influenciou diretamente para que em 2018, houvesse uma queda de 40% em relação à venda de ovos de Páscoa industrializados, de acordo com dados da Neogrid.

Com essas mudanças no panorama comercial, a procura por ovos caseiros aumentou, já que estes oferecerem uma maior diversidade e preços mais econômicos para o consumidor. Além de trazer mais vantagens para os produtores de ovos gourmet, como os ovos de colher, por poderem render um lucro médio de até 70%.

Outro benefício das produções caseiras é o fato de que conseguem abranger um público maior ao implementar inovações em seus produtos, como ovos de Páscoa veganos ou até mesmo os ovos de Páscoa salgados para o público que não é muito fã do sabor doce. Dentre essas novidades, o que mais se popularizou foi o ovo de Páscoa de colher que se tornou de um fenômeno de vendas das produções caseiras, e se tornou a grande aposta do momento.

Atrelado à produção de novos produtos caseiros, há sempre a preocupação com hábitos e vícios que podem trazer riscos à integridade do alimento e a quem o consome. Por exemplo, um ovo de Páscoa de colher manipulado por uma pessoa que não se atentou à limpeza correta das mãos e utensílios pode apresentar uma ameaça ao consumidor, já que tem maiores chances de estar contaminado.

Dessa forma, um perigo que está diretamente ligado aos ovos de Páscoa é a má manipulação dos ingredientes que podem facilmente serem contaminados microbiologicamente, oferecendo riscos para a saúde do consumidor. As produções caseiras estão mais propensas a essa contaminação, principalmente os ovos de colher, por possuírem altas concentrações de leite e frutas frescas (que perecem rapidamente) em um recheio cremoso.

Outro fator de risco é o fato de que esses produtos raramente vêm com uma data de validade bem definida, deixando ao consumidor a avaliação de sua integridade. Dito isso, por possuir tal composição e ser consumido lentamente - como a maioria dos ovos de Páscoa - podem ser contaminados rapidamente por microrganismos, provenientes inclusive da saliva dos consumidores, que facilmente se proliferam pelo alimento devido às boas condições ambientais nele apresentadas.

Fica, então, evidente que garantir a qualidade do produto já consolidado, ou em desenvolvimento, é uma ótima ferramenta de marketing e aumento de vendas – já que as Boas Práticas de Fabricação (BPF), exigidas pela legislação, dão essa garantia por trazerem mais segurança para o consumidor e maior credibilidade para o produtor.

As Boas Práticas de Fabricação (BPF) são um conjunto de medidas que devem ser implementadas em estabelecimentos que comercializam alimentos e em indústrias do ramo, com o intuito de garantir a qualidade sanitária dos produtos, assim como a conformidade destes com os regulamentos técnicos. Dentre essas normas, pode-se citar a manutenção de uma boa temperatura de armazenamento do produto e da matéria prima, realização do controle de pragas constantemente, dentre outras.

Produtores caseiros podem encontrar soluções como desenvolvimento de novos produtos, a implementação de BPF no processamento do alimento, treinamento de sua equipe e determinação da data de validade de seus produtos realizando uma consultoria com a Qualimentos Jr., uma empresa especializada em Consultoria de Engenharia de Alimentos.

Entre em contato conosco e faça o seu negócio decolar!